SEGURANÇA EM CIRURGIA PLÁSTICA
A cirurgia plástica moderna deve ser vista sobretudo sob o aspecto da segurança e da informação. O paciente deve estar cada vez mais informado e atualizado sobre as possibilidades terapêuticas modernas para obtenção dos melhores resultados, e também orientado sobre os possíveis riscos. Ao mesmo tempo, deve buscar a segurança proporcionada pelo desenvolvimento de técnicas cirúrgicas mais aprimoradas e menos invasivas, de melhores técnicas anestésicas, e surgimento de novas medicações, materiais e equipamentos. No contexto atual, é fundamental discutir segurança, haja visto os inimigos que enfrentamos para correta execução da medicina.
Um dos problemas com os quais lidamos no atual momento é o excesso de informação disponível com a qual nos deparamos ao realizar pesquisa sobre cirurgia plástica, especialmente na internet. Embora devesse ajudar, sempre difícil de ser filtrada e muitas vezes distorcida, o tipo de informação sobre a qual temos acesso pode mais prejudicar. Estamos sujeitos à banalização da medicina e ao marketing escancarado que ocorre de diversas formas. Seja com a exposição crua de tratamentos e de pacientes com objetivo exclusivo de impacto mas sem intuito informativo, ou através da exposição de produtos/marcas de matérias usados em procedimentos com conflitos de interesse econômico com empresas, promoções e vendas de cirurgias como se fossem mercadorias. Lamentavelmente, temos uma medicina que vem se tornando comércio, e a internet através das redes sociais ou de grupos de aplicativos demonstram isso de forma preocupante.
Outra questão, característica de nossos tempos, é o exacerbado culto ao corpo e à imagem corporal, imposta inclusive pelos veículos de comunicação. É possível perceber a busca de um ideal de formas, com uma tendência até mesmo na economia mundial, no qual o design vem adquirindo mais importância do que a funcionalidade e o conteúdo. Em certas situações, busca-se um padrão inatingível de perfeição em relação à imagem. A cirurgia plástica, como área da medicina e da cirurgia, não se deve permitir fazer parte desse contexto de culto excessivo ao corpo, mas sim cumprir seu papel essencial, proporcionando qualidade de vida através da correta avaliação e indicação. Somado a tudo, temos uma crise ética em nossa sociedade, havendo multiplicação de profissionais sem formação específica atuando na área de maneira não qualificada. É desse modo que vemos o aumento do número de procedimentos mal indicados, realizados de maneira incorreta, com as preocupantes complicações e consequências aos pacientes, inclusive divulgadas nos meios de comunicação.
Cirurgia plástica segura: alguns passos para segurança em cirurgia plástica
Profissional qualificado: busca correta de informação
O tempo mínimo para formação de um cirurgião plástico compreende 6 anos de medicina, 2 anos de cirurgia geral, e ao menos 3 anos de cirurgia plástica. Após, o profissional deve prestar uma primeira prova específica para tornar-se especialista, e por fim, após ao menos 3 anos de dedicação a cirurgia plástica e mediante comprovação por apresentação de trabalho científico, se tornar membro titular da sociedade brasileira de cirurgia plástica.
Sempre se deve pesquisar a capacitação profissional através do Site da Sociedade Brasileira de cirurgia Plástica, através do endereço eletrônico http://www.cirurgiaplastica.org.br/ .
Deve-se também pesquisar o número de CRM (registro no conselho de medicina) e numero de RQE (registro de qualificação de especialista em cirurgia plástica). Ambos podem ser pesquisados no site do Conselho Regional de Medicina da região (no caso do Rio Grande do Sul no link http://www.cremers.org.br), na área consulta de médicos ativos.
Observar o trabalho do cirurgião é também de grande importância. Este deve ser submetido a um código estrito de ética, com uma conduta profissional, sabendo compreender a queixa de seu paciente, estando atualizado e utilizando protocolos modernos de segurança baseados em evidência científica.
Consulta médica em cirurgia plástica realizada de forma correta
A consulta em cirurgia plástica é presencial, através da conversa direta entre médico e paciente, quantas vezes forem necessárias, com exame físico, solicitação de exames complementares sempre que indicados, e investigação completa do estado de saúde. Assim deve ser a medicina realizada com componente ético, científico e humano. Por mais que tenhamos novas tecnologias, incluindo avaliações, consultas e até mesmo cursos de saúde realizados por internet e vídeo, o contato direto com o paciente é algo que não irá mudar com o tempo. É a única forma de realizar a investigação precisa e medicina de excelência.
Correta indicação do procedimento
A indicação precisa de uma cirurgia plástica passa pelo respeito aos limites técnicos de execução, pelo bom diálogo, e pela expectativa realista sobre os resultados possíveis. A boa relação entre paciente e médico deve existir, havendo, sobretudo, a verdade. Para isso, é necessário que os riscos do procedimento sejam amplamente discutidos e explicados antes de realizá-lo, e que o(a) paciente entenda a motivação que o(a) leva a procurar a cirurgia plástica, compreendendo todos os seus aspectos, as vantagens e as desvantagens, de forma clara e honesta. Os procedimentos em cirurgia plástica não são permanentes, assim como o corpo humano está em constante processo de mudança com o passar do tempo. É também necessário, no caso de cirurgias eletivas (como é o caso da maioria dos procedimentos em cirurgia plástica), que se realize o procedimento em um bom momento físico e mental. A realização de uma cirurgia não deve ser vista como a realização de um sonho, ou compra de um produto, ou comércio, mas como um ato médico em busca de melhor qualidade de vida.
Realização do preparo pré-operatório
A investigação minuciosa e o preparo para cirurgia fazem parte da rotina. Exames pré-operatórios são solicitados, juntamente a exames específicos para o tipo de procedimento. Cuidados e protocolos atualizados e baseados em evidência científica para a prevenção de complicações devem ser seguidos, fazendo-se uso de medidas ou medicações conforme as indicações. As orientações pré-operatórias e pós-operatórias, e seu correto seguimento, são de suma importância para evitar complicações e obter melhores resultados.
Observar equipe de cirurgia
Para que ocorra um procedimento cirúrgico, é necessário o trabalho organizado de toda uma equipe, estando muitos profissionais envolvidos no processo para que tudo ocorra de forma correta. O médico anestesista capacitado, com conhecimento sobre técnicas anestésicas especiais aplicadas em cirurgia plástica é fundamental para o sucesso da cirurgia, assim como o papel de toda a equipe hospitalar, enfermeiros, técnicos, instrumentador cirúrgico, auxiliar de anestesia e sala cirúrgica, e auxiliar de cirurgia.
Questionar sobre materiais e equipamentos utilizados nos procedimentos
O cirurgião deve mostrar a preocupação na utilização de materiais da mais alta qualidade, e o paciente deve sempre questionar sobre tais produtos. Isento de associação com marcas para qualquer tipo de produto, não deve anunciar produtos em qualquer forma de veículo de comunicação.
Questionar sobe local onde é realizado o procedimento
Procedimentos cirúrgicos devem ser realizados exclusivamente em hospitais qualificados, com suporte clínico, equipamentos adequados e unidade de terapia intensiva, e o acompanhamento do paciente pode ser realizado em consultório com sala de procedimento seguindo os padrões de vigilância sanitária, dentro das normas técnicas. Nunca se deve aceitar realizar procedimentos em clínicas ou outros tipos de estabelecimentos que não sejam hospitais, com a finalidade de diminuir os custos da cirurgia. Nesse locais não haverá unidade de tratamento intensivo dentro dos padrões, bem como ocorrerá carência de materiais ou de componente humano ou equipe clinico-cirúrgica, fundamentais para segurança.
Sempre questionar a informação pesquisada, especialmente na internet, e realizar a busca da maneira correta
Sempre deve-se questionar sobre os dados informados no currículo do profissional em questão, como cursos realizados, as sociedade as quais o profissional pertence e a formação. Nos surpreendemos ao encontrar profissionais seguidos especialmente em redes sociais, que não falam a verdade sobre sua formação ou atuam sem preparo. É muito comum a invenção de nomes para cursos realizados e para sociedades. O médico deve ter sempre residência médica na área em que atua, o que serve para qualquer área da medicina. A consulta ao site da SBCP e do Conselho Federal de Medicina deve ser por isso realizada. Devemos também questionar sobre profissionais que apresentam promessas de resultados, ou que postam fotos de antes e depois: além de ilegal, a imagem do paciente é algo ser muito respeitado, trazendo consequências mesmo que tenha sido autorizada pelo mesmo, além de as manipulações de fotos, simulando resultados excelentes, serem constantes. Procedimentos cirúrgicos não devem ser expostos, assim como pacientes. Tudo isso é também determinado pelo código de ética e pelo Conselho Federal de Medicina, como forma de proteção do paciente.
A cirurgia plástica é nobre área da medicina, é uma especialidade da cirurgia, e com tamanha seriedade deve ser vista.
Md. Prof. Dr. Victor Tejada
CONTATO
+ 55 53 3227.6795
 

Rua Santos Dumont, nº 172,
Sala 405, Centro, 96020-380
Cond. Santa Casa Doctors
Pelotas | RS | Brasil

VEJA A LOCALIZAÇÃO NO MAPA
 
© 2016 | Todos os direitos reservados.